Thursday, March 22, 2018

Escolas : Ler Português : Natália Correia no Dia Mundial da Poesia







Dia Mundial da Poesia
créditos: UNESCO

“A poesia restitui a magia das palavras e abre um espaço de reflexão e diálogo sobre o mundo actual"

UNESCO

Celebrou-se ontem, o Dia Mundial da Poesia. Celebrado todos os anos em 21 de Março, o Dia Mundial da Poesia homenageia uma das mais preciosas formas de expressão e identidade cultural e linguística da humanidade. 

Praticada ao longo da história - em todas as culturas e em todos os continentes - a poesia fala à nossa humanidade e nossos valores partilhados, transformando o mais simples poema num poderoso catalisador para o diálogo e a paz.




Natália Correia

CCB comemora o Dia Mundial da Poesia no próximo sábado, dia 24 Março, com a celebração de Natália Correia. Natália Correia que desapareceu há 25 anos, é pois a poeta escolhida para homenagear em 2018.




Natália Correia
créditos: Botelho/ Wikipedia

Dados biográficos:

Importante figura da cultura portuguesa da segunda metade do século XX, Natália Correia nasceu na Fajã de Baixo, ilha de São Miguel, Açores, a 13 de Setembro de 1923. Aos 11 anos veio viver para Lisboa com a mãe e a irmã, enquanto o pai emigrava para o Brasil.


nataliacorreia-livro.jpg

Grandes Aventuras de um Pequeno Herói
Natália Correia, 1945
romance infantil

Ficou conhecida pelo seu espírito irreverente e pela sua actividade política e cultural mas poucos sabem que Natália Correia se estreou na escrita, em 1945, com um romance infantil: Grandes Aventuras de um Pequeno Herói.

Uma história que já revelava todo o talento da escritora e que ainda hoje tem potencialidades para conquistar o público mais jovem, e não só. Edição fac-similada da primeira edição do livro de estreia da autora em ficção, publicado pela primeira vez em 1945.

Fez os estudos no Liceu D. Filipa de Lencastre e iniciou-se na literatura com livros infanto-juvenis. Seria como poeta que se viria a afirmar, mas a sua produção literária foi profícua e diversificada. 



Natália Correia, Autoretrato
créditos: DR

 Autoretrato

Espáduas brancas palpitantes:
asas no exílio dum corpo.
Os braços calhas cintilantes
para o comboio da alma.
E os olhos emigrantes
no navio da pálpebra
encalhado em renúncia ou cobardia.
Por vezes fêmea . Por vezes monja.
Conforme a noite. Conforme o dia.
Molusco. Esponja
embebida num filtro de magia.
Aranha de ouro
presa na teia dos seus ardis.
E aos pés um coração de louça
quebrado em jogos infantis.
   
Natália Correia, Autoretrato

O poema é constituído por três momentos: descrição de traços físicos, como costas, braços e olhos; indicação da variação da identidade do ser; e comparação do ser com elementos que têm as particularidades do corpo desse ser.

Escreveu ficção, poesia, literatura de viagens, diário, ensaio e teatro. Foi jornalista, editora, e deputada na Assembleia da República. Morreu em Lisboa, no dia 16 de Março de 1993.




Cantares dos Trovadores Galego-Portugueses
Selecção, introdução, notas e adaptação
Natália Correia
Editorial Estampa, 2ª edição




Antologia da Poesia do Período Barroco
Selecção, introdução e notas
Natália Correia
1ª edição da Morais Editores de 1982.
Moraes Editores




Antologia de Poesia Portuguesa 
Erótica e Satírica*
Selecção, Prefácio e Notas
Natália Correia
ilustrações: Cruzeiro Seixas
Afrontamento, 1966
Organizou ainda várias antologias de poesia portuguesa como “Cantares dos Trovadores Galego-Portugueses” ou “Antologia da Poesia do Período Barroco” e "Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica".
Natália Correia foi uma versejadora de êxito, uma mulher carismática com uma vida social intensa. Não fez concessões à mediania e notabilizou-se por uma vasta obra intelectual.
"Ensaísta, cronista, teatróloga, romancista é, no entanto, na poesia que se revela completamente, nela projectando erotismo, ânsia libertária, desafio iconoclástico, sentido do fantástico, tudo isto com alguns ecos românticos e acentuadas marcas surrealistas."
Luciano Reis, Personalidades Artísticas. Século XX. 1º Volume



O Sol nas Noite e o Luar nos Dias II
Natália Correia
Círculo de Leitores, 2 volumes, 1993
Mas o essencial da sua vida está, como ela mesma fazia questão de acentuar, na sua obra literária, especialmente em O sol nas noites e o luar nos dias, título sob o qual, pouco antes de morrer, reuniu toda a sua obra poética. 
Aqui se “cantam”, “narram” e “dramatizam” os sucessivos lances de um trajecto existencial consagrado por completo ao conhecimento dos homens, das coisas e das palavras.
 
  
CCB : Celebração de Natália Correia

Educação:

Dia Mundial da Poesia vai ser celebrado pelo Centro Cultural de Belém (CCB) no próximo dia 24 de Março. A poeta Natália Correia é a figura central desta celebração, com destaques para a sua vida e obra. A entrada é gratuita.

Nesta décima primeira edição, a celebração do Dia Mundial da Poesia por parte do CCB, contará com poesia para todas as idades nos variados espaços do CCB com diversas actividadwa a partir das 15:00 até à 19:00 horas.


Encontro de Natália Correia com Fernanda Botelho e Maria João Pires
créditos: Nikias Skapinakis, 1974/FCG

Recursos:

São sete os programas e intervenções dedicados à obra de Natália Correia no Centro Cultural de Belém:

  • Natália Correia, Deputada Parlamentar 
  • Vida na Poesia e Poesia na Vida: Origens Açorianas de Natália Correia
  • 1968-1974. Natália Correia Superstar?
  • A diversidade criativa
  • Natália Correia, a rebelde 
  • À conversa com amigos de Natália (que cruzará depoimentos de Cruzeiro Seixas, Manuel Murteira, António Valdemar e António Victorino de Almeida).
  • A antologia da poesia erótica e satíricao julgamento de Natália Correia*

*Será tema de discussão o processo (julgamento) em que Natália Correia se viu envolvida devido à publicação de “Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica”, antes de 25 Abril. Há 25 anos, Natália Correia, o editor Fernando Ribeiro de Melo e os poetas Mário Cesariny de VasconcelosLuiz PachecoAry dos Santos e E. M. de Melo e Castro foram condenados pela sua participação numa "antologia que foi considerada um ultraje à moral públic". O processo que se estendeu de 1966 a Junho de 1973, terminou os 38 exemplares apreendidos queimados.




Natália Correia
créditos: Arquivo Global Imagens

Alguns pensamentos:

“A Natália era um daqueles seres muito raros que vêm do futuro, que vêm adiantados ao tempo, que não cabem no tempo, nem no espaço, nem no corpo, nem nos comportamentos que nos estão destinados. Ela ultrapassava, extravasava tudo isso.”

Manuel Alegre

Na continuidade das publicações Ler em Português, Vasco Graça-MouraManuel António Pina, Agustina Bessa-Luís, Hélia Correia.

Falar de Natália Correia no Dia Mundial da Poesia é uma homenagem de todo o direito. Poeta por excelência no feminino,  "a pitonisa, a vestal iluminada, uma máquina de passar vidro colorido" como disse Mário Cesariny, referindo-se à sua dimensão cromática é um humilde apontamento perante a admiração pela mulher, e o profundo gosto pela leitura da sua poesia.

Relembrar Natália Correia faz parte do meu imaginário visual e auditivo, a voz rebelde que foi "construindo o seu percurso literário e cívico juntando o talento poético e a energia orientada pelos valores da verdade e da justiça". Uma voz singular e sempre presente.

E complementarmente, do meu mundo afectivo ligado aos livros e à poesia na vida pessoal, e na vida de docência: currículos de Língua e Literatura Portuguesa (ensino secundário).

Uma mulher/ escritora com um currículo vastíssimo ligado à história recente do país, e ao mundo da literatura contemporânea portuguesa.

Essencial fazer uma selecção pessoal de obras que poderão ser adaptadas ao perfil/turma que cada professor lecciona, embora os exames nacionais nos limitem.

Níveis curriculares: 

Ensino Básico 3º ciclo/ Ensino Secundário

“A Natália era um daqueles seres muito raros que vêm do futuro, que vêm adiantados ao tempo, que não cabem no tempo, nem no espaço, nem no corpo, nem nos comportamentos que nos estão destinados. Ela ultrapassava, extravasava tudo isso.”

Manuel Alegre




Natália Correia
Artur Bual


Fiz um conto para me embalar

Fiz com as fadas uma aliança.
A deste conto nunca contar.
Mas como ainda sou criança
Quero a mim própria embalar.

Estavam na praia três donzelas
Como três laranjas num pomar.
Nenhuma sabia para qual delas
Cantava o príncipe do mar.

Rosas fatais, as três donzelas
A mão de espuma as desfolhou.
Nenhum soube para qual delas
O príncipe do mar cantou.

Natália Correia, Fiz um conto para me embalar


Recursos digitais:

  • Natália Correia, retrato de uma poetisa desassombrada: RTP Ensina
 GSouto
22.03.2018
Copyright © 2018G-Souto'sBlog, gsouto-digitalteacher.blogspot.com®

Creative Commons License
Escolas : Ler Português : Natália Correia no Dia Mundial da Poesia bG-Souto is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

No comments:

Post a Comment