Monday, December 31, 2018

Escolas : Louisa-May Alcott : Mulherzinhas, 150 Anos ! Filmes & Actividades






Little Women
Greta Gerwig

Mulherzinhas, adaptação de Greta Gerwin está nomeado como Melhor Filme entre outras cinco nomeações, para os Oscars 2020E já foi galardoado nos Bafta 2020.





Mulherzinhas
Louisa May Alcott
Oficina do Livro

"My book came out; and people began to think
that topsy-turvy Louisa would amount tosomething after all ..."

Louisa May Alcott

Mulherzinhas, um livro de inspiração autobiográfica de Louisa May Alcott foi publicado em 1868. Conta a história de quatro irmãs crescendo entre 1861 e 1865, durante a Guerra Civil Americana. Teve um outro volume, "Good Wives" em 1869.






Boas Esposas
Louisa May Alcott

A autora cresce com três irmãs, uma mãe temperamental e um pai manipulador. Não foi fácil! Particularmente no século XIX.

Apesar de tudo, foi essa infância que a inspirou a escrever um livro que se tem eternizado e que este ano 2018 celebra 150 anos! Um século e meio de existência.

Esta é pois a história que está na origem de Mulherzinhas.




Mulherzinhas
Louisa May Alcott
Relógio d'Água

Escritora norte-americana que se dedicou principalmente à literatura juvenil. Foi educada pelo pai, o filósofo e educador Amos Bronson Alcott. Teve a oportunidade de conviver com intelectuais como Henry David Thoreau e Ralph Waldo Emerson. Tudo isto viria a influenciar a sua personalidade.






Louisa May Alcott
portrait by George Healy
http://www.kedm.org/

Pegava nos livros do pai, o filósofo Amos Bronson AlcottBrincava com eles, quando criança, e sempre que tinha um lápis ou uma caneta à mão, escrevinhava as páginas em branco. 

Gostava de ler e escrever. E os melhores momentos foram aqueles em que o pai a deixava correr livremente pela casa. Sem a castigar por ser demasiado irrequieta.

“Sempre achei que devo ter sido um veado ou um cavalo numa vida passada, porque correr é uma alegria. Nenhum rapaz pode ser meu amigo até eu o derrotar numa corrida, e nenhuma rapariga se se recusar a subir às árvores ou saltar vedações.”

Louisa-May Alcot





Louisa Alcott e irmãs Anna & Beth

Esta é Louisa. Louisa May Alcott. A segunda mais velha de quatro irmãs. Maria rapaz rebelde, independente, e temperamental. Saiu à mãe. É bem diferente das suas irmãs. Anna, a mais velha, a protegida do papá e a perfeição em pessoa. Elizabeth introvertida e pacífica. E Abigail, a mais nova, ligada às artes. Além de ser a mais mimada, segundo escreve.

Louisa sentia uma pontinha de inveja da atenção que suas irmãs recebem mas nunca o demonstrou. Sentimentos como esse não eram permitidos. Guardava-os para quando, anos mais tarde, começar a escrever livros que encantam gerações desde a sua publicação, até aos nossos dias.





Mulherzinhas
Louisa May Alcott
Bertrand Editora



  • Livro: Mulherzinhas


Louisa tem agora 35 anos. Despede-se do emprego como editora de uma revista para crianças e regressa a casa dos pais para começar a escrever. 

Mas sente-se desanimada.É que o seus editor, Thomas Niles propõe:

“Ele pediu-me para escrever um livro para raparigas. Disse-lhe que ia tentar”, desabafa no seu diário."

Não tenta sequer. Mas Niles persiste. E continua a perguntar-lhe pelo livro que ela tanto evita. O pai acaba por pressioná-la.

O problema é escrever o que o editor quer, isto é,  história de uma família como a sua – uma “família patética”, como gosta de lhe chamar –, o que não lhe parece fácil. 






Little Women
Meg, Jo, Beth and Amy
Louisa. M. Alcott, 1868


Por fim, acaba por ceder. Pensa em si e nas irmãs e recria quatro personagens: Jo March será, tal como ela, a segunda mais velha, a maria-rapaz de feitio difícil que está sempre metida em sarilhos; Meg, a mais velha, o exemplo da mulher perfeita; Beth, a mais tímida e conformada; Amy, a mais nova, a artista. 

Vivem com a mãe em New England. O pai, esse, não entra na história. Aprovetia o facto de o pai estar fora de casa, a combater Guerra Civil Americana.






Little Women
Mervyn LeRoy, 1949

As irmãs Meg, Jo, Beth e Amy conhecem algumas dificuldades depois da partida do seu pai para a guerra e dos problemas económicos que a família enfrenta. Mas o espírito de união que reina naquele casa ajuda-nas a vencer obstáculos. 

Em casa e nas relações com amigos e vizinhos, elas conseguem surpreender e continuar e ser fiéis aos seus sonhos, vivendo cada dia com esperança e alegria.

Uma história em que o amor e a coragem se revelam mais fortes do que todas as dificuldades que estas quatro irmãs, juntamente com a mãe, têm de enfrentar.






Orchad House

Mulherzinhas torna-se num sucesso. O  primeiro volume foi publicado em 1868. O impacto junto do público jovem feminino foi tão grande que leitoras viajam até Concord, região do Massachusetts onde a autora vive, na esperança de a verem de perto. 

E passados 150 anos após a primeira edição, a Orchad House Museum tornou-se um local de peregrinação de muitos leitores que querem conhecer a casa onde Louisa May Alcott idealizou e escreveu Mulherzinhas.




Mulherzinhas
Louisa May Alcott
Guerra e Paz,2016

O livro pôs em causa o 'ideal de perfeição feminina' retratado na literatura da época. É uma história que retrata mulheres reais, mulheres que falham, têm defeitos, sonham e se atrevem a ser diferentes. 

Louisa May Alcott deixou a história inacabada. Nenhuma das irmãs March teve um final na sua narrativa. Algo que deixou as leitoras ávidas por mais.


Recursos: 





Google Doodle 194º Aniversário de Louisa May Alcott



  • Google Doodle

Google homenageou Louisa May Alcott com um Doodle em 29 Novembro 2016, celebrando assim o 184º aniversário da autora.

"I like good strong words that mean something," says Jo March in Little Women. The same could be said of that beloved novel's author, Louisa May Alcott, who was born on this day in 1832."

Doodler Sophie Diao





Les quatre filles du docteur March
Louisa May Alcott
J'ai Lu, 1999

O livro Mulherzinhas, traduzido em diversas línguas, tem tido muitas edições em todo o mundo.

Teve também várias adaptações ao cinematelevisão. A primeira versão cinematográfica foi em 1917, seguiram-se as versões de 19331949, e 1978A penúltima em 1994.


  • Filmes:





A penúltima versão estreou em 2018, precisamente para comemorar os 150 Anos





Little Women
 Clare Niederpruem, 2018

Little Women, filme norte-americano, realizado por Clare Niederpruem, com enredo de Niederpruem e Kristi Shimek. É a sétima adaptação do romance de Louisa May Alcott com o mesmo nome. 

Uma versão moderna da história original e pretendeu celebrar o 150º aniversário da publicação do livro Mulherzinhas (1868).

Teve estreia nos Estados Unidos em Setembro 2018. Não! Desenganem-se. Por Portugal não passou.

Mas, há  uma nova versão cinematográfica! Little Women com Meryl StreepEmma Watson  que estreou em Janeiro 2020.




Emma WatsonSaoirse RonanFlorence PughEliza Scanlen
Little Women
 Greta Gerwig, 2019

Emma Watson, a Hermione de Harry Potter, publicou no seu Instagram uma fotografia (2019), como personagem de Meg March, ao lado das suas ‘irmãs’ no filme: Saoirse Ronan, Florence Pugh e Eliza Scanlen que interpretam Jo, Amy e Beth March, respectivamente. Meryl Streep, no papel de Aunt MarchTimothée Chalamet, o jovem Laurie, Laura Derm no papel de Marmee March





Little Women
Greta Gerwig, 2019

Greta Gerwig é a realizadora da nova versão cinematográfica da famosa obra literária de Louisa May Alcott.

Estava prevista a estreia para o Natal 2019. Mas não aconteceu.

Numa época festiva, como o Natal, todos temos presente, as cenas comoventes de Natal da versão cinematográfica de Mulherzinhas (1994): o Natal que não é o mesmo para Meg, Jo, Beth e Amy. O pai está longe, na Guerra Civile a família passa por tempos difíceis.




Little Women/ Mulherzinhas
Gilliam Amstrong, 1994

Mas, apesar de estarem a atravessar dificuldades, a vida das quatro irmãs March é repleta de acontecimentos. Fazem jogos, encenam peças, estabelecem amizades, discutem, lutam contra os seus defeitos, aprendem com os erros, ajudam-se em momentos de doença e decepção e envolvem-se em todo o tipo de sarilhos.





Ensino: Alguns pensamentos

As crianças e adolescentes que crescem rodeadas de histórias têm melhor desempenho na escola, e situam-se melhor na vida. Desfrutar de histórias desde muito cedo, primeiro com pais e avós, e depois nas escolas, desenvolve capacidades e aprendizagens importantes, como a literacia, criatividade, e inteligência emocional.




Mulherzinhas
adaptação Beatrice Masini 
ilustração Sara Not  
Primeiros Clássicos

Partindo do livro Mulherzinhas de Louisa May Alcott, os vários recursos postos à vossa disposição nesta publicação que reúne diferentes edições, algumas das mais, interessantes versões contemporâneas deste romance juvenil, e numa sugestiva diversidade de recursos tais como filmes de adaptações com diferentes abordagens, estilos, sensibilidades, vai estimular a criatividade dos alunos, para s leitura impressa ou digital, a escrita criativa, e para criação visual em suporte digital.

Interpretações visuais, filmes, séries televisivas, de qualidade, podem ajudar os alunos na melhor compreensão da obra nos dias de hoje, e a apreciá-la numa outra perspectiva.

O próprio 'novo' papel da mulher na literatura, quase impensável para a época. Mulheres que fugiam aos cânones da época.

  • Visitas de Estudo: Ida ao cinema


versão presente transporta os alunos para uma dimensão paralela ao Texto Narrativo. A dimensão visual feita de cores, formas, texturas e relações com a outras artes, como o teatro e a música.




Little Women
Greta Gerwig, 2019


Através da visualização das versões em livro ou filme de cada autor/autora, os alunos (segundo o nível curricular) são levados a revisitar episódios e personagens, a comparar estilos e técnicas, a reconhecer influências culturais, e a descobrir novas interpretações que os motivarão para a sua própria criatividade.

As actividades transcurriculares de Línguas, Artes, Música e Tecnologias vão enquadrar as aprendizagens num enriquecimento dos currículos escolares.




Little Women
Louisa May Alcott
edição 2014

Crianças e adolescentes de todas as idades adoram aprender através de histórias. Professores que introduzem histórias e jogos no centro da aquisição de competências dos alunos, no processo de ensino e aprendizagens, numa perspectiva de enriquecimento curricular e realização dos alunos ao longo de todo o percurso escolar, são professores inovadores que incluem 
todas as ferramentas que têm, à disposição do alunos, levando à consecução da actual pedagogia.


A melhor maneira para uma criança ou adolescente desfrutar de histórias, orais, escritas (livros, e-books, leitura digitalou ecrã de smartphones, tablets ou numa sala de cinema é com alguém que ame ler e contar histórias.

Afectos que podem ser transmitidos em aulas curriculares de Línguas (e outras) e partilhados com educadores e pais.

Todos relembramos belíssimos filmes: Alice in Wonderland de Tim Burton, a sequela Harry Potter que tanto me inspiraram de na motivação dos alunos para o Texto Narrativo (na sala de aula e fora da sala de aula),recorrendo as todas as ferramentas de suporte ao ensino.

Sim, porque há alguns anos que partilho da ideia convicta que os conteúdos curriculares passam muito melhor em contexto vivo de aprendizagens.




Louisa May Alcott

"Story is relevant for all children whether in schools where they start out with little language or in schools that feed pupils. Stories feed our souls. Life is enriched. Stories bring joy and add to our life experiences."

Sue Mortimer, head teacher, Rose Hill Primary School, Oxford

I will be back soon with the Most Read Posts January 2020!
G-Souto



31.12.2018

update: 02.02.2020
Copyright © 2018G-Souto'sBlog, gsouto-digitalteacher.blogspot.com®
Creative Commons License
Escolas : Louisa May Alcott : Mulherzinhas, 150 Anos ! bG-Souto is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.