Monday, April 28, 2014

Ler nas aulas de Português : Vasco Graça Moura





Vasco Graça Moura (1942-2014
foto: Paulo Spranger/Global Imagens

"A poesia é a minha forma verbal de estar no mundo".

Vasco Graça Moura


Vasco Graça Moura morreu. Graça Moura permancerá uma figura única na literatura e na cultura portuguesa.

De formação académica, Humanidades - Linguística e Literaturas - não poderia deixar de prestar homenagem a este grande nome das Letras Portuguesas.



Poeta, romancista, ensaísta, dramaturgo, cronista, tradutor dos grandes poetas, antologiador, historiador honoris causa, advogado, político, gestor cultural – estava à frente do Centro Cultural de Belém - é um dos maiores nomes da cultura em Portugal.


Vasco Graça Moura
http://visao.sapo.pt/

Graça Moura foi um "espírito renascentista" no sentido humanista. Há quem o compare a Jorge de Sena se quisermos encontrar um antecessor na diversidade, qualidade e intensidade do seu trabalho criativo e intelectual.


Autor de quase 30 livros de poemas, de Modo Mudando (1963) a O Caderno da Casa das Nuvens (2010), foi ainda um tradutor épico, que parecia ter particular prazer em impor-se desafios colossais, como o de traduzir para português a Divina Comédia, a Vita Nuova de Dante, as Rimas e Triunfos de Petrarca, os Testamentos de François Villon, ou ainda a integral dos Sonetos de Shakespeare e  obras de Racine, ou 'Cyrano de Bergerac', de Edmond de Rostand.


Vasco Graça Moura
http://sol.sapo.pt/

Traduzia directamente do espanhol, do francês, do italiano, do inglês e do alemão, dada a sua vasta erudição linguística e literária. 

Para além dos autores já referidos, traduziu entre outros, poetas como Pierre Ronsard, Rainer Maria Rilke, Gottfried Benn, Walter Benjamin, Federico García Lorca, Jaime Sabines, H. M. Enzensberger ou Seamus Heaney, e ofereceu-nos ainda versões portuguesas de algumas das peças mais importantes dos três grandes dramaturgos franceses do século XVII: Corneille, Molière e Racine. 

Educação:

"A poesia é a minha forma verbal de estar no mundo".
Vasco Graça Moura


Esta citação é uma das mais poéticas para traduzir o modo como se está na vida. Vasco Graça Moura, o poeta "desalinhado" não teve talvez o reconhecimento que merecia. 

Para nós, leitores, e educadores, Graça Moura é o símbolo mais vasto da cultura. O debate ético e estético, o crítico de valores inestimáveis como a Língua Portuguesa, a sua obra reflecte a Literatura de rara qualidade.


"Vasco Graça Moura é um dos nossos grandes poetas europeus, um clássico que ultrapassou a fragilidade e as maldições do tempo."

Francisco José Viegas

Vasco Graça Moura é essencialmente estudado no ensino universitário, nos cursos de Humanidades.

Mas o objectivo deste post é o Ensino Secundário e Ensino Básico (3º Ciclo).

Curriculos de Línguas: Português ; Francês ; Inglês.

Ensino Secundário : O Plano Nacional de Leitura tem como obra referenciada 

Gostaria de propor dois ou três outros livros, que poderão alargar o enriquecimento de experiências e desenvolvimento pessoal dos alunos, abrindo outros caminhos à leitura no Ensino Secundário.  É preciso inovar nas escolhas, sempre negociando com o grupo/turma.

Quando se fala tanto de "competências de sobrevivência", a leitura é uma excelente ferramenta. Desenvolve o pensamento crítico, agilidade, adaptabilidade, boa comunicação oral e escrita, a capacidade de aceder à informação, de a analisar, e, claro, a curiosidade e imaginação. 

Curriculos de Línguas: Português ; Francês ; Inglês.

  • Os Sonetos de Shakespeare, em edição bilingue. Edição interessante para o estudo comparado.


Edição especial ilustrada e assinada
Tradução de Vasco Graça Moura

Desenhos de Jorge Martins

Edição bilingue / versão integral






  • Cyrano de Bergerac de Edmond de Rostand. As onze páginas da introdução de Graça Moura situam a obra no contexto do seu tempo. A edição é também bilingue.

Ensino Básico, 3º Ciclo:
  • Os Lusiadas para gente nova, gradiva, 2012
Voltando ao Plano Nacional de Leitura (2013), não há uma obra de Graça Moura referenciada para os alunos do 3º ciclo, embora em 2012 se tivesse comentado que a obra teria o apoio do mesmo.

Divulguei na postagem Leituras em Língua Portuguesa (2012) este livro "Os Lusíadas para gente nova". Nada mais apropriado do que voltar a esta sugestão:


Os Lusíadas para gente nova
Vasco Graça Moura | Gradiva

"Para o fazer, Camões usou a oitava / Que é feita de oito versos a rimar. / Até ao sexto as rimas alternava, / Nos dois finais a rima vai a par. / Com oitavas assim, organizava / Essa história que tinha de contar / Em cantos que são dez e a nós, ao lê-los, / Espanta como pôde ele escrevê-los." 
Vasco Graça Moura, Os Lusíada para gente nova, Introdução

"Os Lusíadas para gente nova" é uma adaptação inovadora da epopeia camoniana, que tenta tornar mais simples a leitura da obra pelos  mais novos mas que continua sem ser referenciado no Plano Nacional de Leitura.

Uma tentativa de simplificar a epopeia camoniana a benefício de leitores que não disponham ainda das ferramentas culturais necessárias para poder ler com gosto e proveito as suas 1102 estrofes.



"Camões é o mais importante autor da língua portuguesa" e, na opinião de Vasco Graça Moura, isso deve tornar indispensável a leitura desta obra de Camões cuja leitura integral foi retirada do programa de Língua Portuguesa.

As novas gerações, os estudantes até pelos ensinamentos podem retirar de 'Os Lusíadas' uma compreensão de Portugal, da sua história e da sua relação com o mundo, e contactar com uma utilização esplendorosa da nossa língua. 

As primeiras dezoito estrofes, sob o título de “Sabemos muito pouco de Camões”, são uma introdução ao poema e ao próprio poeta, abordando itens que podem ser lidos na postagem Leituras em Língua Portuguesa

"Todos os comentários, explicações e interpretações são feitos em oitava rima, em estrofes semelhantes àquelas de que se compõe o poema épico de Camões."

Vasco Graça Moura

Ensino Básico, 2º ciclo ; Primário :
  • As Botas do Sargento, ilustrações de Paula Rego, Quetzal 2001. A história de uma menina que, depois de calçar umas botas mágicas, não consegue parar de dançar. Um conto de Vasco Graça Moura, inspirado na obra de Paula Rego. Excelente para trabalhar em projecto transcurricular.

 Vasco Graça Moura
Desenhos de Paula Rego
Quetzal,2001
Outros Recursos:

São já muitos os cantores que introduzem a poesia portuguesa nos seus repertórios. Poderia citar vários cantores e vários autores, mas a postagem vai longa. Deixo essa investigação aos professores.

Mas adianto o poema 'Talvez' de Vasco Graça Moura, cantado por Carminho no Dance and Folk Festival, Rudolstadt, Alemanha (2013). Carminho é acompanhada pela Thueringen Symphony Orchestra.




Vasco Graça Moura defendeu até final o valor da Língua Portuguesa, lutador incansável contra o Acordo Ortográfico.


"Como poeta Vasco Graça Moura nunca teve o reconhecimento que merecia. Por um lado porque nunca se encaixou em nenhum grupo e, sobretudo, não estava alinhado com o mainstrem literário português."

Pedro Mexia

G-Souto

27.04.2014
Copyright © 2014G-Souto'sBlog, gsouto-digitalteacher.blogspot.com®

Creative Commons License
Ler nas aulas de Português : Vasco Graça Moura by G-Souto is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.

No comments: