Friday, January 11, 2013

Aulas no Museu: Um Chá para Alice




Pormenor:  Maggie Taylor (EUA), Always tea time
(Colagem digital, 2008)
http://gulbenkian.mediadepo.net/


“The powerful, not to say unique, contribution to children's enjoyment and comprehension of language - and to their emotional development - from deep engagement with story telling and regular exposure to excellent literature is recognised throughout early years and primary education.”

The Rose Report 2009
Um Chá para Alice é uma exposição que está patente na Fundação Calouste Gulbenkian e que pode tornar-se uma magnífica aula aberta no museu sobre o texto narrativo.

Celebra o clássico de Lewis Carroll através de algumas sugestivas ilustrações contemporâneas sobre Alice



Iban Barrenetxea |  Espanha
Digital 2011


"A exposição reúne uma centena de originais de alguns dos melhores ilustradores contemporâneos – 21 autores de 15 países –, que apresentam o seu olhar único sobre uma obra que sempre constituiu uma inesgotável fonte de inspiração de artistas de todo o mundo: Alice no País das Maravilhas."

A exposição centra-se no "episódio do chá do Chapeleiro Maluco e da Lebre de Março".  As ilustrações estão divididas por 21 mesas, uma para cada ilustrador presente, formando uma espécie de lagarta louca.





Vladimir Clavijo |  Rússia

Fotografia 2010



http://gulbenkian.mediadepo.net/


"This exhibition revealed the new golden age of Alice illustration – with original illustrations from contemporary editions, as well as some unpublished versions."


Esta exposição Tea with Alice foi inaugurada em Junho 2012 no Story Museum, em Oxford, a cidade que viu nascer Alice's Adventures in Wonderland há quase 150 anos (1865). Tornou-se então um dos contos mais conhecidos e intemporais,    traduzido para mais de cem idiomas. 


Sem esquecer que o próprio autor Lewis Carroll foi o primeiro ilustrador de Alice. O seu manuscrito original apresenta vários desenhos.
Mas esta exposição propõe mostrar ilustrações contemporâneas do conto. Poderão consultar a lista de ilustradores aqui





Anthony Browne |  Reino Unido
Aguarela 1988

Educação:

"A lesson at a Museum as a part of the curriculum will find your students enjoying the numerous interactive exhibits, the daily hands-on activities and the monthly special events."

G-Souto

Aulas abertas em Museus são uma estratégia científco-cultural que nenhum educador pode desperdiçar.

A melhor maneira para uma criança desfrutar histórias, sejam orais ou escritas ou numa tela como no caso da exposição de Paula Rego, é com alguém que amam.

Os alunos partilharam a aula de Língua Portuguesa com a professora curricular e gostaram tanto que convidaram posteriormente os pais a visitar com eles a mesma exposição. 
Afectos que de podem ser transmitidos em aulas curriculares e partilhados com pais e educadores.

Todos temos presente o belíssimo filme de Tim Burton Alice in Wonderland que tanto me inspirou para motivar os alunos para o Texto Narrativo (na sala de aula e fora da sala de aula). 

Sim, porque há alguns anos que partilho da ideia convicta que os conteúdos curriculares passam muito melhor em contexto vivo de aprendizagens.

Foi em 2004 que introduzi a estratégia de aulas no museu para  o estudo da Narrativa e à apropriação de técnicas de escrita criativa na área curricular de Língua Portuguesa. Paula Rego no Museu de Serralves inspirou três turmas na criação do textos e consecução de projectos de enriquecimento curricular.




Alice | Paula Rego (2003)

Paula Rego que se debruça tantas vezes em contos para a criação de suas telas:

"Eu tinha muitos medos, mas tentava encontrar uma saída algures, uma porta como Alice. Pegamos numa coisa grande e tornamo-nos grandes, ou pegamos numa outra coisa grande e tornamo-nos pequenos. Temos que encontrar o nosso caminho entre as coisas..."

Paula Rego


Objectivos:
  • Estudo do Texto Narrativo;
  • Apropriação de técnicas de escrita criativa;
  • Apreensão de aprendizagens visuais, auditivas e cinestésicas;
  • Envolvimento dos alunos numa actividade temática em projecto transcurricular;
  • Desenvolvimento de auto-confiança e entusiasmo;
  • Enriquecimento vocabular;
  • Inclusão (beneficia os alunos menos empenhados);

Currículos:
  • Línguas (materna e estrangeira); 
  • Artes: (Educação Visual; Música;
  • Tecnologias: uso de algumas das ferramentas, de forma a enriquecer os conteúdos criados, enquadrando-os em suporte digital.

Níveis:
Primário; Ensino Básico; Ensino Secundário; Ensino Vocacional.

Escolas: nacionais e internacionais, sediadas no país.

Datas: até 10 Fevereiro 2013



Lisbeth Zwerger  Áustria (pormenor)
Técnica mista 1999


Para o ensino primário foi desenvolvida uma visita-jogo a consultar aqui

Algumas conclusões:

As crianças e adolescentes que crescem rodeadas de histórias têm melhor desempenho na escola e situam-se melhor na vida. Desfrutar de histórias desde muito cedo, desenvolve capacidades e aprendizagens importantes, como a literacia, criatividade e inteligência emocional.

Partindo do conto de Lewis Carroll, a exposição Um Chá para Alice reúne  ilustrações originais de algumas das mais interessantes versões contemporâneas deste conto,  numa sugestiva diversidade de estilos, abordagens, sensibilidades, escolas e técnicas de ilustração o que só vai estimular a criatividade dos alunos, quer para a escrita criativa, quer para criação visual e suporte digital.

Alguns textos narrativos literários são difíceis de entender pela 'geração digital' - "screen-generation". Interpretações visuais podem ajudar os alunos na melhor compreensão dessas obras, e a apreciá-las com mais entusiasmo.


As ilustrações presentes transportam o aluno para uma dimensão paralela ao texto, a dimensão visual feita de cores, formas, texturas e relações volumétricas.

Através da visualização da arte de cada artista, os alunos (segundo o nível curricular) são levados a revisitar episódios e personagens, a comparar estilos e técnicas, a reconhecer influências culturais, e a descobrir novas interpretações que os motivarão para a sua própria criatividade.

As actividades transcurriculares de Línguas, Artes, Música e Tecnologias vão enquadrar as aprendizagens num enriquecimento dos currículos gerais.

Museus são espaços perfeitos para uma aprendizagem completa dos alunos enquanto futuros cidadãos.



Anne Herbauts |  Bélgica
Técnica mista | Mixed technique 2002


Crianças e adolescentes de todas as idades adoram aprender através de histórias. Professores que introduzem histórias e jogos no centro da aquisição de competências dos alunos no processo de ensino e aprendizagens numa perspectiva de enriquecimento curricular e realização dos alunos ao longo de todo o percurso escolar, são professores inovadores que introduzem todas as ferramentas que levam à consecução da pedagogia do século XXI.

Games and Digital Resources in School are an important and serious goal in the 21st century focus on the changing face of Education, I wrote on Digital schools versus digital teachers.


Gina Souto


"Story is relevant for all children whether in schools where they start out with little language or in schools that feed pupils. Stories feed our souls. Life is enriched. Stories bring joy and add to our life experiences."

Sue Mortimer, head teacher, Rose Hill Primary School, Oxford
G-Souto
11.01.2013
Copyright © 2013G-Souto'sBlog, gsouto-digitalteacher.blogspot.com®
Licença Creative Commons
Aulas no Museu: Um Chá para Alice by G-Souto is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Referências | References

Créditos | Credits : 
Imagens Fundação Gulbenkian
Paula Rego
http://www.art.highlandschools.org.uk/links/artists/PaulaRego/paularego.html

No comments: